N Engenheiros

Turismo do Algarve não compreende decisão do Governo do Reino Unido

Turismo do Algarve e sociais democratas algarvios já reagiram ao anúncio das autoridades britânicas que decidiram excluir Portugal continental do corredor turístico que vai vigorar para 60 países, a partir de 10 de Julho.

 

Aqui fica, na íntegra, o comunicado assinado por João Fernandes, Presidente da Região de Turismo do Algarve e da Associação Turismo do Algarve:

 

«No seguimento da divulgação da lista que coloca Portugal – e o Algarve – fora dos corredores aéreos do Reino Unido isentos de quarentena, o Presidente do Turismo do Algarve considera importante referir o seguinte:

É uma decisão que lamentamos e que não compreendemos à luz dos factos, por ser profundamente injusta e penalizadora para o país em geral e para o Algarve em particular.

Fomos claramente penalizados por falar verdade. Será mais seguro viajar para países que testam metade, ou mesmo um terço, ou preferem passar férias num país verdadeiramente empenhado em preservar a Saúde Pública e o Turismo?

Nesta época, a grande maioria dos turistas britânicos vem para o Algarve, região que entre julho e setembro regista 68% das dormidas do Reino Unido em hotelaria em Portugal.

Desde o início da pandemia da doença Covid-19, o Algarve regista apenas 1,5% dos casos em território nacional (639 casos acumulados até dia 2 de julho).

Recentemente, o Algarve foi eleito pela “European Best Destinations”, organização tutelada pela Comissão Europeia, um dos destinos europeus mais seguros para férias nos próximos meses.

A decisão é um erro do Governo britânico, que poderia ser evitado se ouvisse os 18 mil residentes britânicos que vivem na região e que podem testemunhar na primeira pessoa o exemplo dado durante a pandemia.

De igual modo, o último relatório do “Índice Global da Paz” produzido pelo Instituto de Economia e Paz coloca Portugal como o terceiro país mais seguro do mundo.

Em maio, Portugal foi aclamado no Reino Unido como exemplo na resposta à pandemia. De lá para cá, melhorámos os índices de internamente (-50%), óbitos (-70%) e casos ativos (-45%).

A Autoridade nacional de Turismo desenvolveu o primeiro sistema de certificação de protocolos sanitários em atividade turística do mundo, o selo “Clean & Safe”, contando-se mais de 17 mil selos emitidos e 20 mil profissionais formados.

Ao mesmo tempo, o Turismo do Algarve desenvolveu um “Manual de Boas Práticas”, igualmente pioneiro ao nível mundial, para várias das atividades turísticas, englobando os procedimentos a adotar para rent-a-car, golfes, parques de campismo, marinas, praias, surf, parques aquáticos e restaurantes, além do alojamento turístico, agências de viagens e empresas de animação turística.

Portugal é um dos países que mais testa a população e que apresenta das taxas de letalidade mais baixas.

Apesar de até hoje ser igualmente obrigatória a quarentena no regresso, temos vindo a assistir a uma procura crescente do mercado britânico, desde que em meados de junho reiniciaram as ligações ao Reino Unido. Para julho e agosto temos disponíveis ligações para 20 aeroportos, operados por 5 companhias aéreas, atestando a confiança de turistas e operadores aéreos no Algarve.

Internacionalmente, somos reconhecidos como “Melhor Destino do Mundo” enquanto país. O Algarve é o “Melhor Destino de Praia da Europa” e o “Melhor Destino de Golfe do Mundo”.

Todos estes argumentos foram amplamente expostos ao Governo britânico. Não baixaremos os braços. Continuaremos a trabalhar para que a próxima revisão desta medida nos seja favorável e os turistas britânicos continuarão a ser muito bem-vindos ao Algarve, como têm sido nos últimos 50 anos.

 

João Fernandes

Presidente da Região de Turismo do Algarve

Presidente da Associação Turismo do Algarve»

 

 

 

E aqui fica o comunicado da Comissão Política Distrital do PSD Algarve, na íntegra:

 

«Xeque-Mate ao Algarve

Reino Unido exclui região de corredor turístico

 

O Algarve, a par do resto do país, ao contrário de Açores e Madeira, foi excluído pelas autoridades britânicas do corredor turístico que vai vigorar para 60 países, a partir de 10 de Julho.

Esta decisão traduz um falhanço clamoroso do Governo, o qual tem falhado, dia após dia, ao ser incapaz nos canais diplomáticos de explicar que o Algarve é uma região que tem a pandemia controlada, um destino seguro, com baixíssima taxa de mortalidade e que esteve e está melhor do que muitas das regiões doutros países que figuram no corredor turístico hoje tornado público.

Este é um golpe brutal para a região, a qual tem no turismo externo - maioritariamente britânico - a âncora de muitas vezes empresas e emprego, os quais ansiosamente aguardavam esta decisão com esperança de diminuir as brutais perdas que a região está a sentir.

Se o Governo verificou que seria impossível, face à situação presente de Lisboa, uma decisão desta natureza, devia, tinha obrigação, de garantir que o resto do continente, com indicadores bem melhores, não seria sujeito a uma decisão tão penalizações.

O Algarve requer, o Algarve exige, que esta situação seja revista, que se abram negociações urgentes, para se pôr cobro a esta intolerável situação de cerca sanitária de que o Algarve está a ser vítima e que mancha a sua reputação.

 

Faro, 03 de julho de 2020

A Comissão Política Distrital do PSD Algarve?»

 

Ademar Dias

Partilha este artigo